Trajetória de mulheres da Saúde servem de inspiração nesse Dia da Mulher

No último Dia Internacional da Mulher, o Slobraz Talk discutiu o tema “Empreendedorismo feminino na Saúde” — mediado pela vice-presidente da Slobraz, Tatjana Mocenik —, com a participação de duas mulheres que são referências na área: a Dra. Janete Vaz do Grupo Sabin e a Dra. Mona Oliveira da Biolinker.

Dra. Janete Vaz

Considerada uma das mulheres mais poderosas e uma das melhores gestoras, do Brasil, pelas revistas Forbes e Valor Liderança, respectivamente, a Dra. Janete Vaz é cofundadora e presidente do conselho de administração do grupo Sabin, um dos maiores players de medicina diagnóstica do país. É também membro de diversos conselhos de organizações educacionais e de negócios e cofundadora do Grupo Mulheres do Brasil.  A Sabin foi eleita uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil, pelo Instituto Great Place to Work e pelo Guia Você S/A, sendo reconhecida também como referência na valorização da presença feminina. 

Como confirmam os números apontados pela Dra. Janete durante sua apresentação, a empresa é formada 78% por mulheres; das quais, 74% ocupam cargos de liderança e 62% são gerentes ou diretoras. Outro dado interessante: no ano de 2018, 366 mulheres tiveram bebês, o que mostra que a Sabin é uma organização que valoriza, reconhece e permite que a mulher realize seus sonhos, não só os da carreira, mas os pessoais.

A Sabin começou em 1984, apenas com a Dra. Janete, a sócia Sandra Soares Costa e três funcionários. Atualmente, a empresa tem cerca de 6 mil colaboradores e está presente em todas as regiões do país, atendendo diariamente mais de 20 mil pacientes. Tudo isso é resultado de um “crescimento estruturado dentro de um desenvolvimento de valorização das pessoas”, como ela mesma diz. 

Dra. Mona Oliveira

Dra. Mona Oliveira é PhD em Nanotecnologia e em Ciências Biológicas, pelo Instituto Internacional Jozef Stefan e National Institute Biology, da Eslovênia, e pela Universidade de São Paulo, nessa ordem. Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal da Bahia, a paixão por Biologia Molecular e por Bioquímica fizeram com que Mona buscasse um doutorado em Bioquímica. Foi nessa época que ela conquistou uma bolsa para desenvolver pesquisas em Nanotecnologia e Nanociência na Eslovênia, no famoso Instituto Internacional Jozef Stefan e National Institute Biology. Suas pesquisas com análise de receptores proteicos em células cancerígenas resultaram em um projeto envolvendo o Brasil e a Eslovênia. 

Pesquisadora para o desenvolvimento de novos produtos em Biotecnologia, com mais de 15 artigos publicados, Dra. Mona é a fundadora e CSO da Biolinker, empresa criada há pouco mais de dois anos e que vem ganhando cada vez mais destaque. A Biolinker foi considerada uma das 500 mais promissoras na área científica pela Hello Tomorrow Challenge no ano passado; é empresa líder brasileira em sistema de expressão livre de células (CFPS) e no desenvolvimento de biomoléculas customizadas; é a única empresa da América Latina que domina a tecnologia multicélulas; e, em 2020, contribuiu para a criação de um teste para detecção da Covid-19, mais rápido, de alta performance e baixo custo. A importância do trabalho de Dra. Mona fez com que fosse uma das finalistas do Prêmio Mulheres que Transformam da XP Inc., neste ano. 

Os desafios são de todas 

Apesar da diferença de tempo que suas empresas têm de mercado e de pertencerem a gerações distintas, Dra. Janete e Dra. Mona concordaram sobre muitos dos desafios enfrentados pelas mulheres para se posicionar no mercado profissional. Um dos pontos levantados foi em relação à maternidade, Dra. Mona disse que “antes de ser veterinária, doutora em Bioquímica e mestra em Biotecnologia, ela foi mãe e uma das barreiras que enfrentou foi de se posicionar como uma mãe jovem para conseguir se formar em uma universidade”. Por sorte, segundo ela, na UFBA havia uma creche, o que permitiu que ela estudasse. Mas não é comum, e isso é um impedimento para muitas mães que querem seguir carreira acadêmica. Por isso, um de seus sonhos é criar uma estrutura na Biolinker com creche, para que as cientistas possam ser mães. 

Da mesma forma, a Dra. Janete falou sobre as dificuldades que enfrentou por ser mãe, pois não contava com a ajuda de ninguém também. Ela e o marido precisavam cuidar de tudo e, preocupada, certa vez, ela procurou um casal de psicólogos para saber se os filhos lhe cobrariam essa ausência. A resposta que ela teve foi de que os filhos sentiriam orgulho dela, pois o tempo que ela passava com eles era mais impactante do que o de muitas mães que largaram seus empregos para cuidar dos filhos. E hoje, ela vê que nenhum deles teve problema, e que tais experiências foram importantes também para a vida deles. 

Mona complementou que as mulheres têm mostrado cada vez mais sua capacidade, mas ainda há uma luta por igualdade e para romper barreiras, pois muitos acham que por ser mãe, jovem, por exemplo, a mulher não é capaz de liderar, de falar ou de cuidar de um negócio. Para ela, é preciso não se intimidar e a melhor forma de mostrar sua capacidade é entregando com qualidade o que está sendo feito. E a Biolinker tem feito isso, entregas com qualidade, que em breve terão certificação ISO específica para laboratórios de calibração da área de Biotecnologia.

Para a Dra. Janete, a ousadia e a busca constante pela inovação foram importantes para o crescimento da Sabin. Além disso, ter conhecimento, buscar as ferramentas necessárias, cuidar realmente para que o negócio seja sustentável proporcionam grandes benefícios. 

Com a pandemia, a área da saúde ganhou relevância e ao mesmo tempo, expôs seus problemas. Houve pouco investimento em ciência, desvalorização da tecnologia e tudo isso impacta o que estamos vivendo. No entanto, ela também trouxe pontos positivos, como a antecipação de muitos processos que já estavam em curso. Trabalho remoto, videoconferência, responsabilidade social, sustentabilidade. A Dra. Mona acredita que esse panorama da Covid-19 ajudou a melhorar os processos para obtenção de registros na Anvisa, um dos principais problemas que startups como a Biolinker enfrenta para lançar produtos no mercado, ao lado de outros como a dificuldade de aquisição de insumos e investimentos. 

Outro problema que ambas veem é a qualificação de profissionais. Na Biolinker, a dificuldade em encontrar pessoas capacitadas para trabalhar com células vivas fez com que oferecessem treinamento. Tanto para Dra. Mona quanto para a Dra. Janete, é preciso investir em educação para formar profissionais com capacitação tecnológica, que será essencial no futuro.

As histórias dessas duas mulheres empreendedoras da área da saúde revelaram que sonhos fizeram parte do início de suas empresas, mas a persistência e o trabalho fizeram com que se tornassem realidade. Para os participantes do evento online, mais do que uma lição, tais trajetórias serviram como inspiração. 

O evento online contou com a participação de Gorazd Renčelj, embaixador da Eslovênia no Brasil, que proferiu as palavras iniciais ressaltando a importância de exemplos de mulheres como as doutoras para romper conceitos tradicionais e servir de modelo para gerações futuras. 

Estiveram presentes ainda o presidente da Slobraz, Matjaž Cokan, o presidente emérito da Slobraz e idealizador da SGBN, Štefan Bogdan Barenboim Šalej, a cônsul honorária da Eslovênia no Rio de Janeiro, Wanda Kranjc Alves, a primeira embaixadora do Brasil na Eslovênia, Deborah Vainer Barenboim-Šalej além de nossas associadas e associados.

O principal patrocinador do evento: Embaixada da República da Eslovênia em Brasília.

Para ver o vídeo, acesse nosso canal no YouTube pelo link:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *